Rádios On-line

Três Lagoas constrói um imóvel a cada 24 horas

Departamento de Fiscalização de Obras emitiu 160 alvarás de novas edificações de janeiro até hoje

28 MAR 2013 - 08h:40Por Arthur Freire/JP

Por mês, mais de 50 novas edificações, residenciais e comerciais são iniciadas em Três Lagoas. A média é baseada nos dados do Departamento de Fiscalização e Controle de Obras e Posturas do município. De acordo com eles, apenas de janeiro até esta segunda-feira, haviam sido emitidos 159 alvarás para construção.  A maioria deles, segundo o diretor Rodrigo Pello Rizzo, é destinada à construção de imóveis residenciais. “A média é bastante alta, considerando que, com recessos, feriados e fins de semana, não tivemos nem dois meses de dias úteis”, completou.

Além desse fator, o diretor explicou que há muitos casos ainda em análise e também 72 deles que dependem de parecer técnico – apresentaram alguma pendência no projeto. 

Para Antônio Alves de Souza, Presidente da Associação de Corretores de Imóveis de Três Lagoas, o aquecimento no mercado nos primeiros meses de 2013, embora inferior se comparado ao ano passado, deve-se ao período de festas de fim de ano. “Quando entramos nos meses de outubro e novembro, os investidores suspendem novos projetos e deixam para janeiro. Por isso há esse aquecimento todo começo de ano”, disse.

Ele completa: “Pode ser que este número seja ainda maior. Apenas na minha empresa foram 34 alvarás no começo deste ano. Temos grandes empreendimentos e condomínios fechados de um único investidor, sendo construídos na cidade. Poderia ser bem melhor”, disse.

O empresário explicou, porém, que comparado ao ano passado, o mercado estava ainda mais aquecido. Essa queda pode ser sentida no número de alvarás emitidos pela Prefeitura. De janeiro a março de 2012, foram 190 autorizações para novas construções. “O mercado ainda segue aquecido, mas o ano passado foi melhor. Essa queda, embora pequena, acontece em todo o Brasil. Trata-se de um desaquecimento moderado nacional”, disse.

Em todo o ano passado, a Prefeitura emitiu 850 alvarás para a construção civil. O total equivale a uma média de 70 novos empreendimentos ao mês. 

FACILIDADES
Souza explicou que o motivo desse aquecimento no mercado imobiliário de Três Lagoas deve-se a um tripé: facilidade no crédito (juros atrativos), agilidade na aprovação e liberação das linhas de crédito e preço dos aluguéis. “Hoje, os juros são baixos, 4,5% ao ano. Com um salário de R$ 1,8 mil, a pessoa consegue financiar uma casa de até R$ 120 mil. Além disso, os processos estão se tornando menos burocráticos. Quem não quer sair do aluguel?”, disse.

CARÊNCIA
Já para a gestora imobiliária, Elza Santos, o aquecimento deve-se à carência de imóveis para atender demandas específicas, como, por exemplo, casas no valor de R$ 150 mil. 
“Não tem mais casas no mercado para atender a algumas demandas, como, por exemplo, imóveis no valor de R$ 150 mil. Hoje, a pessoa só encontra casas conjugadas, sem quintal e sem opção de ampliação. Já comprando o terreno, ela consegue tudo isso”, explicou. Na imobiliária em que Elza trabalha, o fluxo diário chega a ser de até 30 interessados em comprar a casa própria. A maioria deles é constituída de pessoas da cidade querendo fugir dos altos preços dos aluguéis.

QUEDA
O presidente da associação informou que, embora não haja risco de saturação, já que a cidade continua crescendo e novos investimentos chegando ao município, estão ocorrendo mudanças no cenário. “Já mudou. Existe muito imóvel vazio. Mas, os proprietários insistem em não baixar os preços”, disse.

Ainda neste ano, a Prefeitura emitiu 93 habite-se. A maioria deles são de construções iniciadas no ano passado.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13