Rádios On-line
SAúDE

Três Lagoas lidera casos de câncer bucal em MS

Atrás apenas de Aquidauna, município ocupa o segundo lugar no ranking estadual

4 NOV 2018 - 07h:00Por Tatiane Simon

Mato Grosso do Sul possui a 5ª maior incidência de câncer bucal (lábio e cavidade oral) em homens, em comparação com outros estados do país, sustentando 11,27% dos casos de tumor no Brasil. Nas mulheres, essa taxa despenca para o 12º lugar no ranking, com 4,21% de incidência. De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca) os municípios com maior incidência no estado são Aquidauana, Três Lagoas e Campo Grande. Além disso, no Centro-Oeste, Mato Grosso do Sul apresenta a maior incidência da doença tantos nos homens, quanto nas mulheres.

Os números significam que a cada 100 mil homens no Estado, 10 terão câncer de cavidade oral conforme a taxa de incidência, e a cada 100 mil mulheres, três vão desenvolver a doença, também conforme as taxas individuais.

Segundo a ortodontista Maria Fernanda Martins-Ortiz Posso, os pacientes dão entrada para tratamento em estágios avançados. "O ideal é diagnosticar precocemente, diminuir o intervalo entre a suspeita de uma lesão, a confirmação de um diagnóstico e o encaminhamento para o tratamento e isso é papel da classe odontológica”, comenta.

COMO PERCERBER?
O câncer de boca pode se manifestar sob a forma de feridas na boca ou no lábio que não cicatrizam, caroços, inchaços, áreas de dormência, sangramentos sem causa conhecida, dor na garganta que não melhora e manchas esbranquiçadas ou avermelhadas na parte interna da boca ou do lábio.
Nas fases mais evoluídas, o câncer de boca provoca mau hálito, dificuldade em falar e engolir, caroço no pescoço e perda de peso.

PERFIL
O perfil dos pacientes de câncer de boca, conforme a especialista, mudou ao longo dos anos. Segundo ela, antes, a doença acometia homens com idade a partir dos 60 anos, tabagistas, etilistas e expostos a agentes químicos. Atualmente, atinge homens com idade entre 30 e 40 anos, tabagistas, etilistas, expostos a agentes químicos e hábito do sexo oral e exposto ao HPV.

DIMINUA O RISCO
Evite ou reduza o consumo de fumo e de álcool; mantenha uma boa higiene bucal; faça uma alimentação rica em frutas, verduras e legumes, e, principalmente, visite o dentista regularmente.

Deixe seu Comentário