Rádios On-line

Três Lagoas perde um dos pioneiros do setor gráfico

Lélio de Almeida faleceu aos 86 anos

24 DEZ 2015 - 09h:03Por Renata Prandini

Faleceu aos 86 anos, Lélio de Almeida, que se encontrava internado no Hospital Nossa Senhora Auxiliadora, na última sexta-feira, 18. Lélio foi um dos percursores do setor gráfico de Três Lagoas. Nascido em Lins, o empresário chegou a Três Lagoas ainda criança. Aqui, cresceu e constituiu família. Casou-se com Laura de Sá Almeida, com quem teve três filhos: Mauro, Lélio Filho e Liane. 

O seu ingresso no ramo gráfico aconteceu em 1949, quando recebeu do Partido Social Democrático (PSD) uma gráfica completa para imprimir as edições do Jornal do Povo.  Em contrapartida, Lélio passou a prestar para o comércio em geral serviços gráficos. 

O empresário permaneceu imprimindo o Jornal do Povo até meados de 1962, quando devolveu todo o acervo para montar seu próprio negócio, a Léliográfica. “Meu sogro empregou muita gente. Muitos profissionais que se encontram estabelecidos no ramo gráfico foram seus funcionários”, destacou a nora de Lélio, Vera Lúcia de Almeida.

A empresa de Lélio cresceu e se instalou em prédio próprio situado na avenida Olyntho Mancini, esquina com a João Carrato. 

O segundo filho, Lélinho, foi quem assumiu o negócio da família. Vítima de câncer no pulmão, que foi descoberto há dois anos, Lélio deu início ao tratamento no Hospital do Câncer de Barretos (SP), mas não resistiu. “Infelizmente, chegou a hora dele”, lamenta nora.

Vera conta que o sogro era conhecido por sua alegria e humildade. “Sou suspeita para falar, afinal, além de sogro, ele era meu grande amigo. Lélio era um homem extremamente brincalhão, de bem com a vida, e de uma humildade ímpar. Homem correto, muito querido”, destacou.

O corpo de Lélio foi velado na Loja Maçônica João Pedro de Souza. O empresário deixou esposa, três filhos, oito netos e um bisneto. 

Deixe seu Comentário