Rádios On-line

Três Lagoas pode contar com voos comerciais a partir de abril

Governador confirmou que o Estado vai contar com mais duas linhas áreas

5 MAR 2013 - 07h:45Por Arquivo JP

Três Lagoas poderá contar com voos comerciais a partir do mês que vem. O governador André Puccinelli (PMDB) confirmou ontem que Governo do Estado conseguiu a implantação de mais duas linhas aéreas para atender Mato Grosso do Sul. Inicialmente, está prevista a operação de voos diários de Três Lagoas ao Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP) e de Ponta Porã ao Aeroporto de Congonhas, na capital paulista. 

As novas rotas serão operadas pela Brava Linhas Aéreas. Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico, Marco Garcia de Souza, faltava apenas a definição em relação ao horário para a empresa confirmar o início da operação em Três Lagoas. A princípio, a companhia tinha disponível apenas o horário noturno para operar voos comerciais no município. Entretanto, o aeroporto de Três Lagoas ainda não conta com balizamento noturno.

A previsão é de que até o final de maio, a obra de implantação do balizamento noturno, ou seja, da iluminação, já esteja concluída. Mas, independentemente disso, o secretário informou que a companhia poderia operar com voos comerciais normalmente durante o dia, já que vai utilizar um modelo turboélice Embraer 120, com capacidade de 30 lugares. 

Esse tipo de aeronave, segundo ele, pode pousar e decolar normalmente na pista de Três Lagoas, que está classificada como aeródromo e não aeroporto. “Após a homologação, a pista teria a classificação de aeroporto. Para receber aviões de médio e grande porte, há essa obrigação. Entretanto, em um aeródromo pode haver uma operação de voos comerciais com aeronave de pequeno porte. Portanto, se a empresa conseguir resolver essa questão de horário, no mês que vem já poderá operar com voos diários em Três Lagoas”, esclareceu.
Em relação à rota, o secretário disse que, no momento, a maior demanda é para São Paulo. Mas, conforme a necessidade, a companhia poderá ter outros destinos. “Os usuários têm preferência, primeiro, pelo Aeroporto de Congonhas, depois, Guarulhos e Vira Copos. A princípio, essa rota atenderia à demanda de Três Lagoas. Conforme a demanda, pode ser ampliada a rota”, destacou o secretário.

Segundo Marco Garcia, com base em uma pesquisa realizada há cerca de três anos, hoje o município contaria com uma média de 50 passageiros por dia, em torno de 500 por semana. A maior procura pelos voos comerciais parte dos prestadores de serviço das grandes empresas instaladas em Três Lagoas. “Depois, vem os representantes comerciais, os gerentes e demais pessoas que exercem os principais cargos nas empresas”, disse. Mas, segundo o secretário, a própria população de Três Lagoas também será usuária frequente, já que o preço da passagem área comprada com antecedência é praticamente o mesmo da passagem de ônibus.

AZUL
Além da Brava, a Azul Linhas Áreas também vai operar voos comerciais em Três Lagoas. Marco Garcia disse que a companhia só está à espera da homologação do aeroporto, já que irá operar com aeronave com capacidade para um número maior de passageiros. 

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico, o fato de Três Lagoas contar com voos comerciais representa mais uma etapa importante no processo do desenvolvimento do município. “Isso era o que estávamos precisando para dar continuidade aos investimentos em nosso município”, destacou.

OBRAS
A estruturação dos aeroportos em Três Lagoas e em Ponta Porã, além dos incentivos garantidos pelo governo estadual, fizeram com que a Bravo concretizasse o projeto de atuar em Mato Grosso do Sul. Em Três Lagoas, o Estado é responsável diretamente por investimentos técnicos no aeroporto – construção de cerca, balizamento noturno e implantação da Seção contra Incêndio (Secinc). 

No final do mês passado, o governo estadual anunciou, inclusive, o cancelamento do convênio com a União que previa o repasse de R$ 1,7 milhão para a conclusão da obra de infraestrutura do aeroporto. O governo do Estado garantiu disponibilizar esse valor, já que o governo Federal não estava demorando em repassar o recurso.
De acordo com Marco Garcia, o cercamento da pista é uma obra que está fácil para ser concluída. O novo receptivo também está prestes a ser entregue, assim como a Seção contra incêndio. “Essas obras, prontas, permitirão que a Brava possa operar tranquilamente a partir do mês que vem. Agora, para a operação da Azul, é necessário o balizamento noturno. Acreditamos que até junho, quando o aeroporto será inaugurado oficialmente, já esteja instalado”, frisou o secretário.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13