Rádios On-line

Três Lagoas registra 524 casos notificados de dengue desde o início do ano

Os agentes de endemias fazem o bloqueio e a borrifação nos quarteirões em que foram notificados os casos suspeitos

16 FEV 2013 - 08h:31Por Redação

Do início deste ano até ontem, a Secretaria de Saúde havia registrado 524 casos notificados de dengue em Três Lagoas. Na semana passada, o município contabilizava 342 casos notificados. Ou seja, um aumento de 182 casos suspeitos em apenas uma semana. Desse total, até a semana passada, 24 casos já tinham sido confirmados e 30 descartados. O número, no entanto, deve ser maior, já que a Secretaria de Saúde, ainda não contabilizou o total de casos confirmados nesta semana.

De acordo com a diretora do Departamento de Saúde Epidemiológica, Neide Yuki, os trabalhos da Secretaria de Saúde são realizados em cima dos casos notificados. Os agentes de endemias fazem o bloqueio e a borrifação nos quarteirões em que foram notificados os casos suspeitos.

Em razão da quantidade de notificações, a partir de segunda-feira terá início o trabalho de utilização da UBV pesada (o fumacê). De acordo com o coordenador do Setor de Endemias, José Carlos dos Santos Coelho, o objetivo é atingir um número maior de quarteirões para diminuir o índice do vetor da dengue. “Esse veículo, com a bomba leco, só irá passar nos bairros com alto índice do vetor, conforme apontou o Lira”, disse o coordenador.

José Carlos explicou que existem critérios para a borrifação do inseticida, que não pode ser disperso aleatoriamente para que o mosquito não se torne resistente a ele. “Às vezes, o cidadão pode questionar a razão por que o veículo com o fumacê está passando em determinado bairro e não no dele. É que existem critérios para a utilização do inseticida. Não podemos utilizá-lo aleatoriamente”, frisou.

Ainda de acordo com o coordenador, a Secretaria de Saúde em parceria com a Secretaria de Infraestrutura continuam realizando o mutirão de limpeza no combate ao mosquito da dengue. O trabalho consiste no recolhimento de materiais que sirvam de depósito para o criadouro do mosquito da dengue, que estão nos quintais das residências. Essa ação é realizada pelos agentes comunitários de saúde, de endemias e pela equipe do Setor de Educação em Saúde. Paralelo a isso, a equipe da Secretaria de Infraestrutura realiza a roçada nos terrenos baldios.

Segundo a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde, infelizmente, alguns moradores não têm colaborado com o trabalho que vem sendo realizado. “As equipes passam recolhendo o material e, dentro de dois dias, retornam no mesmo local e o bairro está cheio de lixo e entulho novamente. É importante que a população colabore com esse trabalho”, disse. O mesmo foi reforçado pelo coordenador de endemias: “Não adianta a administração municipal fazer todo esse trabalho se não houver a colaboração da população”, acrescentou.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13