Rádios On-line
CRIMINALIDADE

Treze pessoas são assassinadas nos primeiros cinco meses do ano

O número corresponde a 2,6 homicídios, em média, por mês em Três Lagoas e aumento de 62,5% de casos em relação a 2016

3 JUN 2017 - 09h:34Por Kelly Martins

Treze pessoas foram assassinadas, em Três Lagoas, somente nos primeiros cinco meses deste ano. São 2,6 homicídios, em média, por mês, número 62,5% maior no comparativo com o ano anterior, quando oito assassinatos ocorreram, entre os meses de janeiro e maio. O levantamento foi realizado pela Delegacia Regional e obtido com exclusividade pelo Jornal do Povo.


O último homicídio ocorreu no bairro Vila Haro, na madrugada de 27 de maio. Um homem de 42 anos foi encontrado morto, na rua Alan Kardec, por moradores. Max Alam Bazan foi atingido por tiros e até o momento não há pistas do assassino. Ele era considerado foragido da Justiça.


Um dos casos registrados foi de latrocínio (roubo seguido de morte) e ganhou repercussão na região. Isso porque a vítima foi brutalmente assassinada e a autoria foi esclarecida. O empresário Marcos Alexandre Ribeiro, de 42 anos, era dono de um parque de diversão e foi estrangulado por um jovem, de 18 anos. A vítima ficou desaparecida por oito dias e o corpo foi encontrado às margens do rio Paraná, na região conhecida como cascalheira. O suspeito roubou joias e dinheiro do empresário.


Para o delegado regional, Rogério Fernando Makert, o número de casos é considerado alto e, em grande parte, está relacionado ao tráfico de drogas. “Infelizmente o índice não é favorável. O objetivo é sempre zerar este tipo de ocorrência na região. No entanto, por outro lado, trabalhamos nas investigações e conclusões dos fatos, o que têm refletido de forma positiva ao levar em consideração que 70% dos homicídios já tiveram autoria esclarecida”, observou.


Quatro dos 13 assassinatos, a Polícia Civil ainda não tem identificação dos suspeitos. Dessa forma, as investigações continuam nos inquéritos abertos, nas delegacias. Mortes motivadas por ciúme também estão na lista. O último caso de crime passional ocorreu em 19 de maio, quando um jovem, de 24 anos, foi assassinado a facadas, no bairro Jardim Glória. Ele estava com a ex-namorada, dentro de um carro quando o suspeito, de 26 anos, flagrou o casal. A garota era a sua atual namorada e ao vê-la com o ex, conforme a polícia, o rapaz cometeu o crime.

Segurança

O delegado Rogério Makert ressalta que a polícia tem trabalhado para garantir a segurança da população. Por outro lado, aponta dificuldades para atender as cinco delegacias, em Três Lagoas, por falta de efetivo. Atualmente 56 servidores integram o quadro da Polícia Civil local, entre delegados, policiais e o setor administrativo. “Seriam necessários mais 25 novos servidores”, acrescentou. 

Deixe seu Comentário