Rádios On-line
FEMINICÍDIO

Vítima de feminicídio, hoteleira Larissa Souto é sepultada

Familiares e amigos dão o último adeus a ex-miss Simpatia de Três Lagoas

10 FEV 2018 - 14h:09Por André Barbosa

A hoteleira e ex-miss Simpatia de Três Lagoas, Larissa Souto Pereira de Freitas, 42 anos, morta à tiros pelo ex-marido, na sexta-feira (9), foi sepultada às 13h deste sábado (10). O mototaxista Marcos Sérgio da Silva Castro, de 48 anos, que cometeu suicídio logo após o feminicídio, foi velado em uma sala próxima à da ex-mulher e foi enterrado primeiro, às 9h.

Ambos foram sepultados em cemitério particular de Três Lagoas.

Muitas pessoas compareceram ao velório, que teve início na noite de sexta-feira. Muito abalados, porém mais conscientes sobre a situação, os filhos do casal contaram que a mãe havia desfilado pelo município. “Ela foi miss Simpatia na adolescência. Participou de desfiles e atuou como modelo, por alguns anos. Está muito difícil para nós”, disse a filha mais nova.

A polícia identificou o revólver usado no crime, de calibre 38, com seis munições, quatro deflagradas, uma intacta e outra engatilhada. Segundo ocorrência policial, o mototaxista teria surpreendido Larissa e seu filho, ao chegarem no condomínio residencial onde moravam, às 16h de sexta-feira, no bairro Jardim Alvorada. Marcos colidiu a moto contra o carro da ex e na sequência, disparou três vezes contra ela, na frente do filho mais velho. Ele atravessou a rua e a poucos metros, ao lado de um caminhão estacionado na esquina, disparou contra o próprio peito, na altura do coração e teve morte instantânea. Larissa chegou a ser socorrida por uma viatura do Corpo de Bombeiros e faleceu no Hospital.

Segundo informaram familiares e testemunhas do casal, os dois estavam separados há alguns meses e o mototaxista não aceitava o fim do relacionamento. Inclusive, segundo a Polícia Civil, Larissa havia obtido na Justiça medida protetiva contra o ex-marido. Ele já a havia procurado outras vezes.

O caso foi registrado na Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher como feminicídio, violência doméstica e familiar e suicídio. 

*Colaborou repórter Kelly Martins

 

Deixe seu Comentário